POLÊMICA – Suspeito de matar agente é intimado para simulação, mas não é obrigado a participar

POLICIAL

  • Publicado em 2017-02-01

  • |
  • Atualizado em 01/02/2017 00:20

  • O delegado Reinaldo Nóbrega informou à TV Correio nesta terça-feira (31) que já intimou Rodolpho Gonçalves Carlos da Silva, de 24 anos, para participar da reprodução simulada do atropelamento que matou o agente Diogo Nascimento, de 34 anos. O caso aconteceu no dia 21 de janeiro deste ano e o suspeito de causar a morte do servidor do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) está solto com um habeas corpus assinado pelo desembargador Joás de Brito.

    A reconstituição do atropelamento está marcada para as 20h desta terça (31), mas pode ser adiada se estiver chovendo à noite. O dia tem registrado chuvas em boa parte do estado, principalmente na Grande João Pessoa.

    Reinaldo Nóbrega afirmou que Rodolpho foi intimado em casa, mas ele não recebeu o documento pessoalmente porque, segundo a família, o suspeito está muito abalado. De acordo com o delegado, Rodolpho não é obrigado a participar da simulação e tem amparo legal para isso. “Ninguém o obrigado a produzir provas para si mesmo”, explicou o delegado.

    A orientação da Polícia Civil é que quem mora nas imediações do Clube dos Médicos, no Bessa, evite movimentação no horário da simulação porque o tráfego deverá ser interditado.

    Participam da reprodução simulada as polícias Civil e Militar, Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (semob), Detran-PB e equipes de perícia e polícia científica.

    O caso

    Diogo Nascimento foi atropelado na madrugada do dia 21 quando trabalhava em uma operação da Lei Seca. O suspeito de atropelá-lo, Rodolpho Carlos, teria desobedecido a ordem de parada e avançado um Porsche sobre o agente. A vítima chegou a ser socorrida para o Trauma, mas morreu no dia seguinte.

    A Justiça pediu que Rodolpho fosse preso, mas o desembargador Joás de Brito concedeu habeas corpus na madrugada do domingo (22), antes mesmo do suspeito ser detido. O carro dele foi apreendido. Durante a semana que se sucedeu após o atropelamento, a Polícia Civil e o Ministério Público da Paraíba (MPPB) formularam novo pedido de prisão de Rodolpho e um deles deverá ser analisado pela Justiça até esta quarta-feira (1º).

    A defesa de Rodolpho alega que ele está colaborando com as investigações, entregou Carteira de Habilitação e o passaporte, e que não há impunidade porque todos os requisitos legais de ampla defesa e direito ao contraditório vem sendo cumprido.

    Repercussão nacional

    A Record TV fez pelo menos três grandes reportagens sobre o caso, sendo duas levadas ao ar no Cidade Alerta nacional e uma como destaque especial nesse domingo, no Domingo Espetacular.

    Créditos: Portal Correio

    COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA COM OS SEUS AMIGO

    Comentários

    Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

    Publicado Por:

    [fbcomments width="100%" count="off" num="3" countmsg="wonderful comments!"]